Posted by: APO | 1 September 2015

Presidente do Caucus apela ao combate dos fluxos financeiros ilícitos em África


Presidente do Caucus apela ao combate dos fluxos financeiros ilícitos em África

LUANDA, Angola, September 1, 2015/African Press Organization (APO)/ O desenvolvimento do continente contínua a ser afectado por recursos insuficientes.

Logo: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/logos/african-caucus.jpg

Photo: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/photos/dsc_0147.jpg
(À esquerda: Mr. David Robinson, Vice – Director do Fundo Monetário Internacional, (FMI); Em meio: Mr. Armando Manuel – Presidente do Grupo Africano e Ministro das Finanças de Angola)

Declarou o Presidente do Grupo Africano e Ministro das Finanças de Angola, Armando Manuel (http://www.minfin.gv.ao), no discurso de boas vindas aos participantes à reunião de Luanda Caucus- 2015.

“Esta realidade obriga-nos olhar para outras fontes de financiamento incluindo as poupanças que podem ser realizadas a partir da contenção dos fluxos financeiros ilícitos de África, especificamente medidas que possam ser tomadas para reduzir radicalmente estas saídas de massa monetária e garantir que as mesmas sejam utilizadas para o desenvolvimento no continente africano”, referiu.

Noutra vertente, David Robson, Vice – Director do Fundo Monetário Internacional, (FMI) e um dos prelectores ao African Caucus disse que a queda do preço do petróleo constitui um choque negativo significativo para os países exportadores que tiveram de realizar ajustamento expressivo.

David Robson, que apresentou o tema “África: Perspectivas Económicas Regionais” apontou como medidas financeiras públicas, os cortes no orçamento por via das despesas de 2015, sobretudo nos investimentos, reforma dos subsídios dos combustíveis, medidas tributárias, incluindo a elevação das taxas dos impostos, e haver maior flexibilidade cambial sempre que possível.

Com efeito, o representante do FMI ao African Caucus, referiu que os países produtores de petróleo enfrentam a aplicação ordenada de despesas, a sua priorização nos sectores sociais e infra-estruturas, bem como na mobilização de receitas não relacionadas ao petróleo, baixa liquidez nos mercados cambiais nos países com regimes flexíveis e por fim a ausência de instrumentos cambiais nos países cuja moeda está indexada ao Euro.

O destaque da tarde desta quinta-feira recaiu para o combate aos fluxos financeiros ilícitos para melhorar a mobilização de recursos internos, tema apresentado por ThaboMbeki, Ex-Presidente da África do Sul.

O fórum junta mais de dezanove Ministros das Finanças e catorze Governadores dos Bancos Centrais em representação de cerca de quarenta  países membros do African Caucus, incluindo Angola.

Distribuído pela APO (African Press Organization) em nome da Ministérios das Finanças de Angola.

SOURCE

Ministry of Finance of Angola


Categories

%d bloggers like this: