Posted by: APO | 16 April 2015

Regiões e setores inexplorados em África oferecem oportunidades de crescimento para as PME locais


Regiões e setores inexplorados em África oferecem oportunidades de crescimento para as PME locais

CAPE-TOWN, South-Africa, April 16, 2015/African Press Organization (APO)/ Apesar das recentes previsões do Banco Mundial  de abrandamento do crescimento económico na África Subsariana em 2015, a região continua a ter uma das classes médias com maior crescimento em todo o mundo. Por este motivo, o continente ainda apresenta várias oportunidades que os empreendedores e as pequenas e médias empresas (PME) africanos com espírito inovador podem aproveitar.

Logo: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/logos/dhl_logo2.jpg

Photo Charles Brewer: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/photos/charles-brewer-1.jpg
(Charles Brewer, Diretor-Geral da DHL Express da África Subsariana (ASS)

Charles Brewer, Diretor-Geral da DHL Express da África Subsariana (ASS) (http://www.dpdhl.com), diz que um setor com boas perspetivas é o da indústria agrícola, o maior setor económico de África, que representa 15% do PIB total do continente e mais de 100 mil milhões de dólares por ano2. “Estima-se que mais de 60% das áreas aráveis e não exploradas do mundo se situem na ASS3, o que indicia que o setor ainda ofereça grandes oportunidades de crescimento.”

Outra indústria em que se verificou um crescimento significativo foi o setor bancário, que teve um grande crescimento na última década e se tornou um fator determinante no financiamento dos mercados emergentes2. Brewer diz que a classe média em ascensão e os consumidores africanos “sem banco” continuarão a impulsionar a indústria. “Outras indústrias em crescimento e que oferecem boas perspetivas para o continente são as tecnologia, bens de consumo, e telecomunicações.”

Além destas fortes indústrias, Brewer identifica cinco cidades em rápida expansão, cujo crescimento foi impulsionado por estas indústrias, e que proporcionam oportunidades para as empresas africanos:

•          Bobo-Dioulasso, Burkina Faso: É segunda maior cidade deste país e está em expansão graças ao forte crescimento dos setores alimentar e agrícola. Muitas pequenas e médias empresas estão a instalar fábricas para produzir localmente produtos, tanto para o mercado interno como para o de exportação, predominantemente fruta, cereais, algodão, óleo vegetal, sabão e outros produtos artesanais.

•          Ebène, Maurícia: Trata-se de um polo tecnológico emergente que, graças às suas infraestruturas e instalações avançadas, atraiu muitas instituições financeiras e empresas jurídicas internacionais.

•          Mbarara, Uganda:  Mbarara é uma cidade industrial em crescimento, a 280 km da capital do Uganda, Kampala, que se situa em pleno centro da região de exploração leiteira. Graças à sua localização, clima favorável e às grandes áreas de terra livre, atraiu investidores na área do fabrico de produtos laticínios, bem como cervejeiras e empresas de bebidas que se expandiram para a zona.

•          Farafenni, Gâmbia: Situada na margem norte do rio Gâmbia, no interior, a cerca de 120 km da capital, Banjul, a cidade tem vários bancos e companhias de seguros. O seu rápido crescimento deve-se sobretudo à sua localização geográfica, na estrada principal entre Dakar e Casamance (a região sul do Senegal), e à proximidade do ferry que faz a travessia do rio Gâmbia.

•          Konza Techno City, Quénia: Tendo completado recentemente a fase de infraestruturas, a nova cidade tecnológica situa-se 60 km a sudeste de Nairobi e irá concentrar-se em quatro setores económicos; nomeadamente a educação, as ciências da vida, telecomunicações e outsourcing de serviços comerciais. Prevê-se que dê um grande impulso às despesas, ao investimento e ao crescimento da tecnologia no Quénia.

“A DHL está presente em todos os países e territórios africanos, com 37 anos de experiência em logística de entregas expresso no continente. Graças à nossa forte presença em África, estamos numa posição única para servir estas cidades e indústrias em expansão,” conclui Brewer.

Distribuído pela APO (African Press Organization) em nome da Deutsche Post DHL.

(1) The World Bank: http://www.worldbank.org/en/region/afr/overview )

(2) McKinsey & Company, Africa’s path to growth: Sector by sector: http://www.mckinsey.com/insights/economic_studies/africas_path_to_growth_sector_by_sector

(3) KPMG, Agriculture in Africa: https://www.kpmg.com/Africa/en/IssuesAndInsights/Articles-Publications/General-Industries-Publications/Documents/Agriculture%20in%20Africa.pdf

Contacto para meios de comunicação social:

Megan Collinicos. Diretora: Publicidade e Relações Públicas, África Subsariana

DHL Express

Tel.: +27 21 409 3613 Telemóvel: +27 76 411 8570

megan.collinicos@dhl.com

Siga-nos: www.twitter.com/DHLAfrica

DHL – A empresa de logística para o mundo

A DHL (http://www.dpdhl.com) é a marca líder mundial na indústria logística. A família de divisões da DHL oferece um portefólio de serviços de logística sem rival, desde a entrega nacional e internacional de encomendas, expresso internacional, transporte rodoviário, aéreo e marítimo até gestão de cadeias de abastecimento industrial. Com mais de 325 000 colaboradores em mais de 220 países e territórios por todo o mundo, ligamos pessoas e negócios de forma segura e fiável, permitindo fluxos comerciais globais. Com soluções especializadas para mercados e indústrias em expansão, incluindo comércio eletrónico, tecnologia, ciências da vida e saúde, energia, ramo automóvel e comércio a retalho, um compromisso assumido com a responsabilidade social corporativa e uma presença sem rival nos mercados em desenvolvimento, a DHL está decididamente posicionada como “A empresa de logística para o mundo”.

A DHL faz parte do Deutsche Post DHL Group. O grupo gerou receitas superiores a 56 mil milhões de euros em 2014.

SOURCE

Deutsche Post DHL


Categories

%d bloggers like this: