Posted by: africanpressorganization | 8 March 2014

A União Europeia financia a 1ª Feira Agrícola Nacional em Bissorã


 

A União Europeia financia a 1ª Feira Agrícola Nacional em Bissorã

 

BISSAU, Guinea Bissau, March 8, 2014/African Press Organization (APO)/ De 7 a 9 de Março de 2014, em Bissorã, a Delegação da União Europeia junto da República da Guiné-Bissau e a ONG italiana L.V.I.A. (Associação Internacional de Voluntários Leigos) lançam a primeira Feira Agrícola Nacional que vai promover os produtos locais em particular das regiões de Bolama-Bijagós, Oio, Cacheu, Quinara e Tombali.

A Feira Agrícola faz parte do Projeto de Apoio às Cooperativas agrícolas e Grupos de Produtores de Sementes, que visa reforçar os serviços fornecidos pelos Centros de Serviços Rurais e pelos Grupos de Produtores de Sementes nas regiões-alvo acima mencionadas. Com uma duração de 37 meses, o projeto conta com um financiamento de 45 milhões de francos CFA, é subsidiado em 90% pela União Europeia e em 10% pela LVIA e outros parceiros da ação, tais como a ONG MANI TESE, a Associação AJAM, a ONG ADIM e os grupos-alvo (15 Centros de Serviços Rurais e 22 Grupos de Produtores de Sementes).

De entre as áreas de intervenção do projeto destacam-se as seguintes:

– Melhorar e reforçar o acesso de 16.000 produtores aos serviços agrícolas;

– Potenciar a transformação e comercialização da produção de arroz e de outras culturas proteoleaginosas;

– Fortalecer a estruturação e organização de 15 cooperativas.

 

Projeto de Apoio às Cooperativas agrícolas e aos Grupos de Produtores de Sementes

Quem vai BENEFICIAR com esse projeto?

· O projeto beneficiará 16.000 produtores de cinco regiões (Bolama-Bijagós, Oio, Cacheu, Quinara e Tombali abrangendo cerca de 80.000 pessoas) que têm acesso aos serviços fornecidos pelos 15 Centros de Serviços Rurais (CSR).

Quem FINANCIA e quem COORDENA?

· O financiamento de 45 milhões de francos CFA é subsidiado em 90% pela União Europeia, sendo os restantes 10% assegurados pela LVIA junto com os seus parceiros MANI TESE, AJAM e ADIM.

· A coordenação é confiada à ONG italiana LVIA, em parceria com a sua congênere MANI TESE, que será corresponsável da atividade de seguimento, juntamente com os parceiros guineenses AJAM e ADIM.

Por que é um PROJECTO INOVADOR?

· A intervenção baseia-se no empoderamento dos produtores através do reforço da capacidade institucional das organizações camponesas e da estruturação delas.

· A ação prevê dois estudos técnicos (dos solos e das variedades de arroz de mangal) a fim de selecionar os tipos de arroz mais adequados e identificar as técnicas de produção mais eficientes no contexto das cinco regiões de intervenção.

· A ação analisou a viabilidade dum sistema de acesso ao crédito dos camponeses, cuja garantia é baseada na produção agrícola nas zonas de intervenção.

· A tutela e a valorização do arroz de mangal, que é parte integrante da valorização do ecossistema de mangal, numa abordagem partilhada com o IBAP.

· Produção e transformação local dos produtos através da gestão pelos CSR, de estruturas comerciais de proximidade que prestam serviços aos produtores, procurando atingir uma sustentabilidade financeira.

 

SOURCE 

European Commission


Categories

%d bloggers like this: