Posted by: africanpressorganization | 25 March 2013

A União Europeia apoia o resgate da história da escravatura de Cacheu


 

 

A União Europeia apoia o resgate da história da escravatura de Cacheu

 

BISSAU, Guinea Bissau, March 25, 2013/African Press Organization (APO)/ Ontem, dia 22 de Março, no quadro do primeiro Fórum sobre a escravatura em

Cacheu, teve lugar a cerimónia de arranque do projecto co-financiado pela

União Europeia “Cacheu, Caminho de Escravos”, que visa a promoção do

património cultural e da memoria histórica como meios de desenvolvimento

económico e social.

“Milhões de pessoas foram vítimas inocentes do tráfico de escravos, mas a escravatura

não é algo que existiu apenas no passado”, salientou na sua alocução o Embaixador

Joaquín González-Ducay, Chefe da Delegação da União Europeia junto da República da

Guiné-Bissau, “O desprezo pelos direitos humanos, a pilhagem dos bens do Estado e dos

recursos naturais, a restrição dos direitos de expressão e de acção da sociedade civil, são

todos exemplos de novas formas de subjugação e escravatura.”

No curso do evento, no qual participaram também outras personalidades da comunidade

internacional no país, nomeadamente o Representante Especial do Secretário-Geral das

Nações Unidas, Sr. José Ramos-Horta, o Embaixador González-Ducay salientou

igualmente que hoje o respeito dos direitos humanos e o combate contra toda forma de

discriminação erigiram-se em valores fundamentais da União Europeia, incluindo no

âmbito da sua política externa.

Constatando que a tutela do património cultural e histórico fazem parte integrante da

marca política da União Europeia no âmbito do desenvolvimento humano, pois cultura e

história são, em efeito, capazes de criar pontes entre os povos e de se converter num

instrumento essencial do progresso sustentável, o Embaixador González-Ducay realçou

que o diálogo respeitoso das identidades culturais e a promoção do respeito das

liberdades fundamentais representam também instrumentos com os quais a União

Europeia quer apoiar o povo da Guiné-Bissau.

“Com a contribuição ao projecto “Cacheu, Caminho de escravos” a União Europeia se põe

novamente e de forma concreta ao lado da sociedade civil guineense, para que ela possa

desempenhar o seu papel na construção do país”, concluiu o Embaixador González-

Ducay, “De facto, graças a esta intervenção e através do forte engajamento da

comunidade local, a população vai poder reapropriar-se daqueles valores compartilhados

de liberdade e democracia com os quais poderá enfrentar melhor as novas formas de

escravatura.”

 

SOURCE 

European Union


Categories

%d bloggers like this: