Posted by: APO | 15 April 2008

Maputo acolhe a Bienal 2008 da Educação em África


 

Maputo acolhe a Bienal 2008 da Educação em África

 

Paris, 15 de Abril 2008 – A capital de Moçambique, Maputo, vai acolher entre 5 e 9 de Maio a Bienal 2008 da Educação em África. Em matéria de cooperação na área educativa, trata-se do mais importante encontro no continente, organizado a cada dois anos pela Associação para o desenvolvimento da educação em África (ADEA).

 

São aguardados no Centro Internacional de Conferência Joaquim Chissano cerca de 600 participantes. A Bienal mobiliza todos os ministros africanos responsáveis pela educação e a formação, os representantes das agências de cooperação multilateral e bilateral para o desenvolvimento, organizações não governamentais e organizações da sociedade civil africanas e internacionais, fundações, especialistas, investigadores e profissionais da educação, bem como profissionais de todos os níveis de ensino. Também são aguardados ministros de sectores outros que da educação.

 

A abertura solene, em 5 de Maio, da primeira Bienal a ser acolhida por um país africano de língua portuguesa será marcada pelas intervenções do Chefe de Estado de Moçambique, S. Exa. Armando Emílio Guebuza, do Presidente da República de Argélia, S. Exa. Abdelaziz Bouteflika, convidado de honra, do Presidente em exercício da União africana, S. Exa. Jakaya Mrisho Kikwete, e da Primeira-Dama de Porto Rico, S. Exa. Luísa Acevedo Vilá,.

 

Em Libreville, em 2006, os debates focalizaram os factores e condições de eficiência das escolas, dos programas de alfabetização e dos programas de desenvolvimento da pequena infância ; desta vez, em Maputo, os participantes vão orientar a sua reflexão sobre a educação pós-primário, um dos maiores desafios confrontando os sistemas educativos africanos, após os progressos realizados tanto para o ingresso como para a conclusão do ciclo primário.

 

O tema central « Para além da educação primária : desafios e abordagens para alargar as oportunidades de aprendizagem em África » será dividido em três grandes áreas : a extensão da educação obrigatória para todos por uma duração de 9-10 anos ; o desafio do desenvolvimento das competências para melhor preparar os jovens para a inserção socioprofissional ; a articulação entre o segundo ciclo do secundário e o ensino superior em prol da formação de recursos humanos para o desenvolvimento da África.

 

As sessões plenárias de introdução de cada um destes três eixos serão seguidas por sessões paralelas, durante as quais os participantes poderão aprofundar as suas reflexões sobre as problemáticas transversais que dizem respeito, entre outros, às orientações políticas pertinentes, à governança coerente e eficiente dos sistemas, à distribuição eficiente dos papéis entre o Estado e os seus diversos parceiros, à mobilização de novos recursos e à redução dos custos, às estratégias promissoras em matéria de alargamento do acesso e de reforço da equidade, ao aumento do número de pessoal docente e à sua formação, ao desenvolvimento dos currículos e das competências, às equivalências e às passarelas.

O objectivo principal da Bienal 2008 é de favorecer a partilha das experiências e dos conhecimentos africanos e internacionais sobre o desenvolvimento da educação pós-primário, de promover entendimentos compartilhados sobre os desafios e as prioridades e de retirar das lições aprendidas, opções de políticas e de estratégias promissoras.

 

Ela irá pôr à disposição da comunidade educativa africana as ferramentas, bem como os conhecimentos e as práticas mais recentes, susceptíveis de fazer progredir o ensino pós-primário em todo o continente, à semelhança dos progressos consideráveis obtidos na realização do ensino primário universal. Para Maputo, mais de 120 estudos e análises foram realizados, como salienta Mamadou Ndoye, secretário executivo da ADEA.

 

A Bienal de Maputo aproveitará também para celebrar o 20° aniversário da ADEA. Este ano de 2008, altamente simbólico, será caracterizado por uma consolidação do enraizamento em África, comprovado pela transferência do Secretariado da ADEA para Tunis, no seio do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD). Esta consolidação leva também ao reforço da parceria com a União africana, com a fusão vindoura do Escritórios dos Ministros da COMEDAF e da ADEA, e com a extensão do campo de actividades da ADEA que passará a abranger todo o continente. Pela primeira vez, a Bienal contará com a participação dos países da África do Norte. Em 2008 também, será lançado o 1° plano estratégico a médio prazo da ADEA (2008-2012).

 

A respeito da ADEA

 

Criada em 1988, a ADEA hoje ocupa uma posição de líder nos processos de diálogo, de partilha e de aprendizagem em prol da transformação qualitativa da educação ao serviço do desenvolvimento da África.

 

A sua missão consiste em actuar como catalisador de políticas e de práticas inovadoras para a mudança em educação graças à mutualização das reflexões, das experiências, das aprendizagens e dos conhecimentos.

 

Resultado de uma parceria entre os ministérios da educação e os organismos de cooperação para o desenvolvimento, a ADEA é ao mesmo tempo um fórum para o diálogo político sobre a educação em África, uma rede de profissionais e de investigadores e um catalisador para as reformas da educação.

 

Paris, 15 de Abril 2008


Categories

%d bloggers like this: