Posted by: APO | 9 December 2013

Sugestões para comprar online na quadra natalícia


Sugestões para comprar online na quadra natalícia

CAPE-TOWN, South-Africa, December 9, 2013/African Press Organization (APO)/ Com a maior disponibilidade do acesso à Internet de banda larga, custos de dados mais acessíveis oferecidos pelas operadoras móveis e o desenvolvimento consistente dos dispositivos móveis, as compras online estão a ganhar impulso na África Subsariana.

Logo: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/logos/dhl_logo2.jpg

Photo 1: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/photos/dhl7.jpg

Photo 2: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/photos/dhl5.jpg

Fatima Sullivan, Diretora de Vendas a Retalho na DHL Express Sub-Saharan Africa (http://www.dhl.com), afirma que com a época festiva que se avizinha, os consumidores estão a optar cada vez mais por comprarem os seus presentes online em revendedores locais e estrangeiros devido à possibilidade de escolherem de entre uma ampla seleção de produtos a preços competitivos, sem estarem limitados por restrições geográficas e às horas que lhes são mais convenientes.

“Com uma infraestrutura melhorada em termos de Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC) e de segurança e proteção online, cada vez mais pessoas estão a optar pelas compras online em detrimento das lojas tradicionais e grandes armazéns devido à variedade de produtos disponível à distância de um clique de um botão”, afirma Fatima Sullivan.

Destaca ainda os fantásticos sucessos de empresas recém-criadas de comércio eletrónico locais, como a Zando na África do Sul e a JUMIA na Nigéria; sendo que ambas fazem parte da Africa Internet Holding, que está a intensificar a sua atividade para a época natalícia. A JUMIA, que só foi inaugurada em 2012, já se expandiu para seis mercados para desfrutar deste crescimento e a Zando está a desenvolver planos de expansão para um futuro próximo.

Jeremy Hodara, Co-CEO da Africa Internet Holding, e Sascha Breuss, Diretor executivo da Zando, concordam que “é muito dispendioso comprar no estrangeiro”. Também destacam a importância de um forte parceiro de logística para conquistar a confiança dos clientes. “Este é o maior teste, uma vez que existem muitos receios de fraude e temos de educar os clientes sobre como fazer compras online com segurança. Por exemplo, temos de ser transparentes acerca dos preços, impostos ou custos de envio. É por isso que a JUMIA e a ZANDO aceitam pagamentos à cobrança e oferecem devoluções gratuitas para proporcionarem uma experiência de compras segura, tranquila e cómoda”.

Fatima Sullivan afirma que embora as compras online tenham muitos benefícios, há poucos consumidores sul-africanos conscientes dos regulamentos envolvidos na importação de produtos comprados online em revendedores internacionais, o que poderá levar a que incorram em despesas adicionais, tornando por isso o produto menos atrativo.

“Por exemplo, todos os envios transportados através de fronteiras internacionais têm de passar pela Alfândega, onde, dependendo do tipo de produtos transportados, poderão ser sujeitos a determinadas restrições e regulamentos. Existem produtos, como as peças de vestuário, que atraem elevadas taxas alfandegárias e estão sujeitos à intervenção da Alfândega sempre que o preço, o conteúdo e o país de fabrico sejam questionados para mitigar um grande número de riscos”.

Acrescenta ainda que é essencial confirmar se existem possíveis restrições associadas a produtos específicos e esta confirmação deve ser a primeira ação dos consumidores antes de efetuarem qualquer compra online para evitarem sofrer quaisquer perdas financeiras, caso os produtos fiquem retidos na Alfândega.

Ao efetuar compras online em revendedores internacionais, Fatima Sullivan afirma que é importante ter os seguintes fatores em mente para evitar custos adicionais ou atrasos na entrega dos produtos:

•          Taxas e impostos de importação: em geral, as taxas e os impostos de importação são calculados especificamente com base no valor dos artigos importados. Os consumidores devem ter conhecimento que determinados produtos, como o calçado e vinhos, são calculados parcialmente pelo valor e/ou quantidade e poderão necessitar de autorizações com base na quantidade, enquanto outros, tais como peças de vestuário, joalharia, perfumes e dispositivos móveis, poderão ser calculados apenas com base no produto.

•          Desalfandegamento: dependendo do artigo, poderão ser necessários vários níveis de desalfandegamento. Isto poderá atrasar o seu envio devido ao processamento ou à inspeção física, pelo que é importante encomendar os seus produtos com bastante antecedência para garantir que chegam a tempo.

•          Escolha um serviço de transporte adequado: os operadores expresso mais importantes, como a DHL, têm uma forte presença em África e têm uma relação de trabalho bem estabelecida com a Alfândega e as autoridades locais para garantirem o desalfandegamento e a entrega rápida dos produtos.

•          Presentes:  na maior parte dos países, só são aceitáveis presentes entre indivíduos e é necessária uma descrição completa do conteúdo. Não é aceite a descrição genérica “Presente”. Esta situação também varia de país para país.

•          Tenha em atenção os diferentes custos de envio: é importante estabelecer que custos são da responsabilidade da empresa de transporte e do cliente antes do envio dos produtos.

Existem três custos principais associados à movimentação e desalfandegamento de mercadorias: a) o custo dos bens a pagar ao remetente, b) os custos de envio até à porta do cliente e c) as taxas, impostos e custos de desalfandegamento.

Na maior parte dos casos, as taxas e os impostos a pagar no país de destino não podem ser determinados com toda a precisão pelo remetente no momento da encomenda dos produtos e não são incluídos nos preços apresentados ao cliente. Assim, à chegada, estas taxas são cobradas e devem ser pagas pelo cliente antes da entrega da encomenda – frequentemente para total surpresa do cliente. Em última instância, isto pode fazer com que o preço final (o montante total de todos os custos) dos produtos comprados online seja muito superior ao esperado e, potencialmente, poderá afastar esses clientes de futuras compras online.

“Aconselhamos os clientes a conversarem com o revendedor online ou especialista/prestador de serviços local caso tenham dúvidas acerca dos regulamentos que se possam aplicar às suas compras”, conclui Fatima Sullivan. Com a euforia das festas prestes a chegar, não vai querer ter surpresas desagradáveis em termos de taxas e impostos ou atrasos na entrega dos seus presentes”.

Distributed by APO (African Press Organization) on behalf of Deutsche Post DHL.

Contactos para a comunicação social:

Lee Nelson. Chefe do Departamento de Marketing e Comunicação, África Subsariana

DHL Express

Tel +27 21 409 3613 Telemóvel +27 72 361 0178

lee.nelson@dhl.com

DHL – A empresa de logística para o mundo

A DHL (http://www.dhl.com) é líder de mercado global na indústria da logística e “A empresa de logística para o mundo”. A DHL dedica os seus conhecimentos de especialidade em transporte expresso, aéreo e marítimo internacional, transporte rodoviário e ferroviário, logística de contratos e serviços de correio postal internacionais aos seus clientes. Uma rede global composta por mais de 220 países e territórios e cerca de 285 mil funcionários em todo o mundo oferecem uma qualidade de serviço superior e conhecimentos locais para responder às suas necessidades de cadeia de fornecimento. A DHL aceita a sua responsabilidade social apoiando a proteção do meio ambiente, gestão de catástrofes e educação.

SOURCE

Deutsche Post DHL


Categories

%d bloggers like this: