Posted by: APO | 21 March 2013

Os governos podem transformar a água e o saneamento para todos os africanos em realidade até 2030, diz a WaterAid


Os governos podem transformar a água e o saneamento para todos os africanos em realidade até 2030, diz a WaterAid

LONDON, United-Kingdom, March 21, 2013/African Press Organization (APO)/ Hoje, no 20º aniversário do Dia Mundial da Água, a WaterAid (http://www.wateraid.org) apela aos líderes internacionais para que apoiem o objectivo ambicioso de prover acesso à água, ao saneamento e à higiene para todos os africanos até 2030.

Logo: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/logos/wateraid.jpg

O apelo surge ao mesmo tempo que mais de 50.000 pessoas participam em mais de 30 eventos de caminhadas em massa em toda a África para pedir aos próprios governos que mantenham as promessas feitas sobre o acesso à água limpa e ao saneamento seguro.

Juntam-se a mais de 350.000 pessoas em todo o mundo que estão a participar nas Caminhadas Mundiais para a Água e o Saneamento entre Sábado 16 de Março e Sábado 23 de Março.

Num novo relatório publicado pela WaterAid hoje, a Presidente Johnson Sirleaf da Libéria declarou:

“Solucionar a crise global de água e de saneamento não se trata apenas de caridade, mas de oportunidade. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cada 1 dólar investido na água e no saneamento produz em média 4 dólares em aumento de produtividade. Permite que haja crescimento económico sustentável e equitativo. Em resumo, não será possível fazer progresso para erradicar a pobreza, reduzir a desigualdade e garantir um desenvolvimento económico sustentável no futuro sem melhorar o acesso.”

O relatório da WaterAid, “Toda a gente em todo o lado”, lançado hoje(1) pela Presidente Johnson Sirleaf num evento da ONU sobre a água, em Haia, nos Países Baixos, define uma visão para disponibilizar a água segura e o saneamento para toda a gente, e revê o progresso feito até à data para se lidar com a escassez de água e de saneamento.

O relatório descobriu que a falta de progresso para melhorar o acesso à água, ao saneamento e à higiene está a actuar como travão ao progresso do desenvolvimento económico e humano, particularmente em áreas tais como a saúde infantil, a nutrição e a educação. A WaterAid cita as estatísticas da Organização Mundial de Saúde que mostram os benefícios económicos que África poderia ter, se toda a gente no continente tivesse acesso à água e ao saneamento.

O continente africano poderia ganhar 33 mil milhões de dólares todos os anos se toda a gente tivesse acesso à água e ao saneamento. Desta quantia, 4,5 mil milhões de dólares derivam da redução nas despesas de saúde; 7,2 mil milhões de dólares podem ser recuperados devido à redução na mortalidade; 2 mil milhões de dólares devido ao tempo menor de ausência do trabalho; e a quantia assombrosa de 19,5 mil milhões de dólares em tempo geral poupado(2).

Os benefícios para África em vidas salvadas por toda a gente ter acesso à água e ao saneamento no continente também são significativos. O Instituto de Medição da Saúde calcula que cerca de 550.000 pessoas morrem de doenças diarreicas todos os anos na África ao Sul do Saara(3), 88% das quais, segundo a Organização Mundial de Saúde, se podem atribuir à falta de água, de saneamento e de higiene(4) o que equivale a 480.000 mortes causada pela falta destes serviços no continente.

Nelson Gomonda, Gestor do Programa Pan-Africa da WaterAid declarou:

“Nada pode demonstrar melhor que o nosso continente começou realmente a concretizar o próprio potencial e está a cumprir a promessa de progresso e desenvolvimento, do que alcançar a meta fundamental de todos os africanos terem água potável segura.”

“330 milhões de africanos hoje em dia vivem sem acesso à água limpa, por isso o caminho é longo, mas pela primeira vez vemos a luz ao fundo do túnel.” Com mais de 1.000 crianças africanas com menos de cinco anos a morrerem todos os dias de doenças causadas pela falta de água e de saneamento, os africanos não vão aceitar fracassos. Temos que conseguir este objectivo.”

“Mais de 50.000 africanos estão a participar em caminhadas para demonstrar que estes serviços são uma prioridade que desejamos e de que necessitamos. Os africanos compreendem como a falta de água e de saneamento afecta a própria saúde, a produtividade económica, a educação dos filhos, os direitos das mulheres – a água e o saneamento têm uma função em todos os aspectos do desenvolvimento. É por esta razão que o progresso destes serviços básicos vai ter consequências tão importantes para o nosso continente e gente.”

Actualmente, na África ao Sul do Saara, 334 milhões de pessoas (39% da população) não tem acesso à água potável limpa, e um pouco menos de 600 milhões (70%) não têm acesso ao saneamento(5).

Para lidar com este problema agora, a WaterAid apela aos líderes internacionais para que:

1.    Reconheçam a necessidade de uma estrutura que substitua os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio em 2015 para reflectir a contribuição da água, do saneamento e da higiene para outras áreas de redução da pobreza, incluindo a saúde, a educação, a igualdade entre os géneros, o crescimento económico e a sustentabilidade.

2.    A ONU defina um novo objectivo global para conseguir acesso universal à água, ao saneamento e à higiene até 2030.

3.    Identifiquem modos de acelerar as taxas futuras de progresso feito no saneamento para que a meta de acesso universal seja cumprida até 2030.

Distributed by the African Press Organization on behalf of WaterAid.

NOTAS AOS EDITORES

Entrevistas:

Porta-vozes disponíveis a pedido, por favor entre em contacto com:

Hratche Koundarjian: Oficial Sénior dos Meios de Comunicação, WaterAid

Linha directa: +44 (0)207 793 4909 / +44 (0)7905 911 039

E-mail: hratchekoundarjian@wateraid.org

1.    Toda a Gente, em Todo o Lado – Uma visão para a água, o saneamento e a higiene pós-2015 – podedescarregar o relatório aqui (http://www.wateraid.org/~/media/publications/Everyone%20everywhere.ashx).

2.    Global costs and benefits of drinking-water supply and sanitation interventions to reach the MDG target and universal coverage – o relatório da OMS pode ser visto aqui (http://www.who.int/water_sanitation_health/publications/2012/globalcosts.pdf).

3.    Instituto de Medição e Avaliação da Saúde, Peso Global das Doenças, 2012. Os dados podem ser vistos aqui (http://ihmeuw.org/5r).

4.    Organização Mundial de Saúde, as ligações da Água, do Saneamento e da Higiene à Saúde, Factos e Estatísticas, podem ser vistas aqui (http://www.who.int/water_sanitation_health/en/factsfigures04.pdf).

5.    Progress on Drinking Water and Sanitation 2012 – o relatório da UNICEF pode ser visto aqui (http://www.unicef.org/media/files/JMPreport2012.pdf).

SOURCE

WaterAid


Categories

%d bloggers like this: